segunda-feira, 24 de maio de 2010

Sobre Vampiros

Este é um trecho que escrevi logo após ler "O Dia do Coringa", o que parece bem óbvio. hehe
Não é linkado à história "Infância"

Andando pela cidade, passando desapercebida pelas pessoas há uma vida invisível, linda, cheia de aventuras, que arrebata qualquer um que a perceba e faz com que essa pessoa nunca mais se esqueça da grandeza do universo.
Enquanto as massas andam, alheias à vida, à grandeza e emoção que é estar vivo e andando neste mundo, há sempre alguém, um curinga, um gato no canil, uma pessoa que compreende a imensidão da vida e do universo, a incrível aventura de estar vivo.


Todos já ouvimos histórias sobre seres que agem enquanto as pessoas dorme. Não falo de morcegos e corujas, mas de vampiros e monstros horríveis que matam e torturam pela diversão de assim o fazer.
O que ninguém sabe é que esses temidos monstros andam entre nós também de dia, sem que ninguém perceba. O que aconteceu foi que, ao longo dos tempos, os vampiros foram ficando mais fortes e mais inteligentes, acumulando conhecimento, tecnologia e poder suficientes para não mais precisar se esconder do Sol.
Os vampiros são verdadeiros curingas na paciência da humanidade, interferindo quando esta parece estagnada: os grande gênios da humanidade receberam ajudar diretas ou indiretas dos vampiros. Há quem afirme que a Mona Lisa era a musa inspiradora de Da Vinci, ou seja, uma vampira, com quem ele conversava e que colaborava com suas idéias. Pálida e enigmática, sorrindo convidativamente a qualquer pobre presa que caia no seu enigma, tal qual inseto na teia de aranha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário