segunda-feira, 12 de abril de 2010

O começo

O mundo se tingia de vermelho enquanto o Sol se punha atrás dos morros. Eu assistia a noite cair sem saber o que viria a seguir. Aquele poderia ser meu último por do Sol, ou o primeiro de minha nova vida.
De repente minha imagem brilhou e se alterou e notei que chorava. Não por alguém ou algo, mas por um fim que, de uma forma ou outra, é triste.

Levantei-me e fui em direção a meu destino, meu objetivo e origem, toda a razão do meu ser, meu Jason.

Seu lindo cabelo escuro, chacoalhando ao vento enquanto me esperava ao pé do morro encostado em seu carro. Seu rosto mirando o Sol, seus lábios entreabertos em um sorriso, seus olhos fechados se abriram quando cheguei perto dele, correndo, e me atirei em seus braços.

Eu era humana até hoje pela manhã. Há uma semana, eu não teria imaginado que estaria aqui, agora, com Jason, pronta para morrer. Bom, não exatamente morrer, ou não poderia escrever, andar ou sorrir. Não, não morta, mas, na verdade, não-morta, imortal, incapaz de morrer. Uma vampira, como Jason.

Em uma semana minha vida mudara completamente, mas não mudaria mais, não nas partes importantes: eu não morreria facilmente, não me separaria de Jason e me alimentaria de sangue humano. 3 premissas simples.

A primeira vez que vi Jason, exatamente uma semana atrás, me parece tão distante agora. Claro que nunca me esquecerei de nada que aconteceu então, após vê-lo, mas ainda assim, são tantas lembranças, tantas sensações, tantas emoções.

2 comentários:

  1. Oi May, falei que passaria aqui.
    realmente, me lembrou muito crepusculo, mas por um outro angulo, muito agradavel.

    vou ler o resto.(=

    ResponderExcluir
  2. Oi, May! Eu aqui também... Não sou fã de histórias com vambiros, mas a sua está legal.

    Até breve!

    ResponderExcluir